TEMPUS FUGIT

Início do segundo semestre, fim de recesso ou férias para alguns, mas para todos nós uma única sensação: e lá se foi a metade do ano… Muito rápido, dizem algumas pessoas. Mal estávamos trocando presentes do último Natal, dizem outras. O fato é que, não raro, estamos imersos em um vendaval de obrigações, atividades e tarefas que nos retiram o melhor da vida: o tempo, na sua real essência. Os atropelos do cotidiano, consequência desta nossa modernidade líquida, vêm nos esmagando como um rolo compressor. Mas, espere! Quem é o protagonista desta peça chamada vida? Não é você mesmo? E eu? E cada um de nós em nossos próprios palcos? Quando foi que saímos de cena e passamos a ocupar algum lugar no fim da plateia?

Muito se fala em gestão, nos dias atuais: gestão de pessoas, para otimizar e engradecer relacionamentos; gestão de processos, para obter melhores resultados; gestão de finanças, para o reequilíbrio da saúde financeira e sobrevivência no caos econômico que estamos vivendo. No entanto, em meio a “tantas gestões” há uma que necessita, com a maior urgência, ser conhecida, refletida, tratada e absorvida: a gestão do tempo. É a mola mestra de uma vida feliz, produtiva e equilibrada. É a única gestão que realmente importa ao ser humano, porque o coloca novamente como protagonista de sua própria existência. É a gestão capaz, inclusive, de dar vazão e eficiência às demais, caso desejemos adotá-las também. O fato é que saber gerir o tempo é tão básico e ao menos tempo tão essencial. Nos perdemos nesta estrada. Em algum momento pegamos um atalho que nos pareceu mais atrativo, mas era uma grande cilada. É preciso retornar.

O tempo é uma criação do homem desde a antiguidade e se tornou de tal forma intrínseco à sua existência que é capaz de operar milagres por meio de marcos e eventos que parecem nos devolver a chance de ser feliz. Já pensaram na mágica do Ano Novo ou de nossos aniversários? É como se o cronômetro fosse zerado e nos fosse devolvida a chance de reconstrução de nós mesmos e de nossa própria vida. Ainda que Descartes tenha nos apresentado a divisão matemática dos segundos, minutos, horas e dias, ainda que os ciclos possam se construir pela mente humana, uma coisa é inexorável: a medição do tempo transformou o homem. E se é assim, não há como ignorar os efeitos do seu mau uso, porque já não nos imaginamos à parte do tempo. Estamos em uma dimensão concreta (ainda que se possa cogitar de outras mais sutis) em que experimentamos com nosso corpo os efeitos do tempo. Por isso perder tempo ou tornar nossa vida inteiramente circunstancial nos faz tão mal.

Então, a questão da gestão do tempo é, de fato, a mais imprescindível de todas. Para quem sabe gerir o tempo, o ano não passa depressa, a sensação de atropelo não existe, as angústias e ansiedades se transmutam em segurança, paz interior e felicidade. Compreender o significado de tarefas e metas é o caminho para a realização do que é preciso para uma vida verdadeiramente plena. Dificuldades e obstáculos se transformam e pontes a serem transpostas. O que corriqueiramente era tido como dor ou incômodo se transforma em exercício de fortalecimento do caráter e etapas de um caminho cuidadosamente planejado na direção certa.

Se as notícias veiculadas sobre o que vem acometendo as pessoas negativamente tangenciam a ansiedade, a angústia e o vazio, certamente há nesses males um ponto em comum: vidas absolutamente absortas em circunstâncias, entregues quase em sua totalidade a demandas urgenciais e pouquíssimo ou nada planejadas, bem geridas e bem vividas. A equação é simples: o bom uso do tempo somado a um planejamento cuidadoso certamente resulta em felicidade integral. E sabe o que é melhor? Para cada um de nós existe um resultado pessoal e que é capaz de nos fazer felizes, porque a gestão do tempo feita por nós mesmos, com um planejamento que se amolda às nossas próprias características e necessidades pessoais, sociais e espirituais, devolve-nos nosso papel original de protagonistas de nossas próprias vidas!

Quer saber como? Venha participar conosco do Workshop Gestão do Tempo, que acontece no próximo dia 12/08, entre às 10h e 17h (alimentação e transporte inclusos) lá na sede do Movimento DeDiCo. Deixe o grupo daqueles que se queixam que o ano passou depressa e passe a fazer parte do grupo dos que afirmam que vão vencer neste ano de 2017! Tome fôlego para viver os melhores dias do seu ano! Venha se preparar conosco!

20294372_789446051227662_3776333650473420398_n

 

Confira como foi o Curso Sem glúten e sem lactose!

No último sábado, dia 8, aconteceu o tão esperado curso voltado para a culinária sem glúten e sem lactose, no Ashram da Paz.

Na abertura, uma palestra ministrada pelo Fábio Pontes Júnior abordou como essas substâncias reagem em nosso corpo. Logo depois, já na cozinha, receitas de pão de queijo e pão foram aprendidas. Os participantes colocaram a mão na massa! Novas texturas e sabores foram experimentados.

0

3

Após o intervalo do almoço, vieram as receitas de bolos e queijos: bolo de cenoura, bolo de chocolate, queijo de castanha do Pará e queijo de semente de girassol.

4

a

Um livro de receitas exclusivo foi entregue ao final. Os participantes saíram esclarecidos e cheios de energias para colocarem tudo o que aprenderam em prática!

2

Os cursos do Instituto Desperta têm sempre temas voltados para o desenvolvimento pessoal e espiritual, saúde e bem-estar. Fique ligado, não perca o próximo!

A MUDANÇA DE TEMPERATURA TE INCOMODA?

Já tem alguns dias, talvez uma semana ou mais, que o que mais se vê nas redes sociais e nas conversas de escritório é a queixa sobre o frio que este inverno trouxe até nós. E, como num passe de mágica, tudo começa a girar entorno deste tema. As pessoas parecem passar a se agasalhar mais, os idosos e as crianças adoecem mais e todos começam a se queixar insistentemente da brusca mudança de temperatura. As ruas ficam mais vazias e em casa as pessoas mudam menos de lugar.

mittens-1177211_1920

Quem tem chance, passa o dia debaixo das cobertas e quem não tem, conta os minutos para poder desfrutar de um banho quente. Poucos mantém seu ritmo de exercício físico. Muitos engordam consideravelmente porque passam a compensar o frio na quantidade de alimentos que ingerem e estes, claros, recheados de calorias e menos light.

Até aí, tudo bem. Mas alguém aí já parou para se perguntar como podemos ser tão suscetíveis ao externo e ao nosso próprio corpo? Como nos escravizamos em circunstâncias que não se alteram em absolutamente nada se estamos ali ou não, se usamos mais agasalho ou não, se comemos mais ou não? Porque é exatamente isso: quando você se queixa do frio o tempo não se aquece para acolher sua súplica. Quando você se coloca desesperadamente em dieta, por volta do mês de outubro, as estações continuam passando e existindo, com seus rigores ou amenidades, com seu gris ou suas cores. Sim, você é insignificante para o mundo. Será?

Talvez não seja bem assim. Acho que nós é que estamos na contramão das atitudes de interação com o mundo em que vivemos, com a natureza e com nossa própria essência. É verdade que tem feito muito frio, é verdade que a gente come mais e veste mais roupa (quem tem…) e também é verdade que todo mundo consegue uma gripe ou resfriado na melhor das hipóteses. Mas vamos lá, o que te impede de viver a vida como exatamente você faz nas estações de tempo quente? Você  é o mesmo!! E aqui vai uma notícia: você não é o seu corpo que sente frio, ou pelo menos, não é somente isso! Não use os rigores do inverno para justificar mais uma vez o adiamento da sua meta de exercícios. Não justifique sua ansiedade e seu apetite desmedido na necessidade de consumir mais calorias, se você já tem reserva de sobra no seu próprio corpo. Não culpe os graus celsius abaixo do seu padrão para não dividir suas roupas com quem não as tem. Basta! Alguém tem que mudar o rumo dessa história!

E sabe de uma coisa? Nem é tão difícil assim… Enquanto você coloca o terceiro ou quarto edredom na sua cama (que está dentro de um quarto, com janelas fechadas), já pensou naqueles que moram na rua e que nem sequer têm um ou dois cobertores? Enquanto você faz uma pausa na sua tarde para tomar um chocolate quente (que é a cara do inverno!), já se perguntou sobre quem não tem condições de comprar nem mesmo um “pingado”? Tá na hora de sair de si mesmo.

Neste inverno, faça diferente! Acorde mais cedo, comece sua rotina de exercícios, alimente-se de forma saudável (o que pode ser tão quente quanto um chocolate quente), queixe-se menos do óbvio e faça parte de quem anima os outros. Nade contra a maré. E, principalmente, abra as janelas da alma para enxergar o outro. Talvez ele precise de um cobertor, mas talvez ele precise de um abraço.
E, talvez, ele precise mesmo somente do seu exemplo, da sua iniciativa. Seja você todos os dias do ano! Seja feliz!

Sem Glúten e sem Lactose, com muito sabor!

Faça você mesmo delícias como pães, bolos, leites e queijos!

19400113_770577813114486_7939450090253239363_n

Aprenda a cozinhar receitas sem glúten e sem lactose e leve uma vida mais saudável!

Seja você vegano, celíaco ou sem restrições alimentares, este curso é para todos! Serão apresentadas receitas incríveis que que ainda podem servir de base para outras combinações na sua cozinha. Teremos também uma introdução para entender como essas substâncias atuam no nosso corpo.

 

Tudo isso no Ashram da Paz, Sede do Movimento Dedico, um ambiente inspirador em meio à natureza.

Incluso: Café da manhã, almoço e café da tarde sem glúten e sem lactose.

Ganhe de presente um livro com as seguintes receitas:
Pizza de couve-flor
Falafael
Brigadeiro de banana sem açúcar
Brigadeiro de mandioca

Inscreva-se no site: http://www.movimentodedico.org.br/desperta_vegetariana.php

A FORÇA DO PENSAMENTO

Quem de nós nunca disse: “você está lendo meu pensamento”? Parece curioso como uma vez ou outra pela vida nos deparamos com situações que justamente coincidem com o que estávamos pensando, naquele exato instante, como se tivéssemos nos antecipado um segundo no tempo. Ou quem nunca quis muito algo e concentrou seu pensamento neste algo, a ponto de ele acontecer? Tudo bem, há também situações exatamente opostas, em que os nossos pensamentos são o oposto da realidade, mas vamos admitir: isso acontece quando pensamos em vão, porque quando nosso foco é sincero e verdadeiro os acontecimentos não nos surpreendem, já que antes existiam em nosso pensar.

como-manter-um-pensamento-na-mente

Sim, é verdade! O pensamento dá força! Inúmeros estudos têm comprovado como o pensamento positivo é determinante na reversão de situações de estresse, vários livros com esta temática (de auto ajuda ou experimentos livres) têm sido publicados. Basta uma rápida busca no Google e você terá uma enxurrada de informações. A programação neurolinguística – PNL e as atividades de coaching têm tido cada vez mais espaço nas mídias e atraído cada vez mais adeptos. Tudo isso por uma única razão: o pensamento tem força.

E tem notícia melhor do que esta?! Como é sensacional constatarmos que podemos ser, e de fato somos, os únicos responsáveis pelos rumos de nossas próprias vidas, não somente em relação às escolhas que fazemos, mas com relação ao mundo em que pretendemos viver. Ser feliz é uma escolha consciente. Ter sucesso é uma escolha consciente. Abandonar velhos hábitos e vícios é uma escolha consciente. Manter-se com o humor em alta é também uma escolha consciente! Enfim, viver uma vida plena de sentido e resultados é uma escolha que passa pelo nosso pensar e pelo tipo de construção mental que fazemos.

É fundamental que tomemos as rédeas de nosso próprio existir. Sem isso, jamais conseguiremos viver da forma como realmente acreditamos e estaremos fadados à repetição das imposições que nos chegam diariamente pela televisão, pelas redes sociais, pelas publicações rápidas e vazias, que manipulam multidões. O comportamento coletivo é, sem sombra de dúvidas, resultado da importância que cada indivíduo atribui ao próprio pensar. Quanto menos gente pensando, mais comportamento de massa, maior o número de doentes psíquicos, maior o consumismo, que reflete o completo vazio interior. Então, vamos mudar isso! Construir uma sociedade plena em consciência só depende de você, e de mim, e do nosso vizinho, e assim por diante! Para mudar o mundo, a gente precisa começar a mudar a nossa própria rotina. E para mudar nossa própria rotina é fundamental pensar antes de agir. Repetir menos e refletir mais.

Então a fórmula é simples: pensamentos construtivos geram resultados positivos; pensamentos direcionados geram resultados imediatos; pensamentos organizados geram vida produtiva; pensamentos felizes geram vida plena!

Vamos tentar? Eu topo! Comece agora: o texto está no fim. O que você vai decidir pensar logo depois? Vai navegar sem rumo pela internet ou vai escolher se alimentar de pensamentos resolutivos e felizes para a sua própria vida? Eu confio em você. Desperte!

Como você se dedica a si mesmo?

“Perceba o que nasce dentro de você, o que é a sua vontade primeira, onde pulsa sua motivação ardente, a Vibração da Vida Maior na sua vida – o que o faz sentir-se vivo. Aí é que está a sua grandeza.” (Mestre Micaell)

Como você tem alimentado as diversas áreas da sua vida? Da mesma forma que você precisa comer com critérios de qualidade e quantidade para se manter vivo, necessita também de critérios para se preencher.

1.jpg

Para que o centro do seu ser esteja fluindo, é necessário que suas pétalas estejam em harmonia. Como anda seu relacionamento consigo mesmo? Como anda sua alimentação? Não nos prendamos apenas ao que se ingere, mas ao que se lê, assiste, ouve… E sua saúde, tem se dedicado a fazer exercícios físicos? Você ama o seu trabalho ou o vê apenas como um meio de sustento?

Todos nós precisamos de um momento para parar e ver como está a nossa vida. Assim como estabelecer metas claras buscando o aperfeiçoamento pessoal e espiritual. É preciso, primeiro, se conhecer para depois gostar de você mesmo. Dedicar-se a si próprio não significa apenas ter um tempo para o lazer,  um hobby ou o estudo, tudo isso é consequência desse olhar para o seu interior.

Quando você se reconhece e se ama, você se presenteia, cuida da sua mente, do seu corpo, das suas emoções e do seu espírito de forma saudável. Faz por e para você, primeiramente, para se voltar e dar ao outro o que existe de mais precioso em você.

 

A FORÇA DO AMOR – A ESSÊNCIA DO HOMEM DE BEM

 

E lá se foram cinco meses do ano! Você reparou ou quando se deu conta, já estava pensando nas férias de julho (se é que você pode se dar a este luxo)? Não raro o cotidiano nos engole e nos traz para meses após a virada no ano, como uma onda que leva o banhista desavisado de novo à areia. Os dias passam muito depressa, os ponteiros do relógio parecem estar em uma competição desenfreada pela volta mais rápida e os compromissos – que por vezes nem sabemos quando foi que assumimos ou qual a razão verdadeira de tê-los assumido – nos atropelam e nos retiram a chance de existir.

Muitos de nós se vêm atropelados pela metade do ano que passou, porque numa ânsia de responsabilidade para com os outros, esquecem-se de si mesmos e lutam diariamente e a todo custo para se livrar do que lhes pesa sobre os ombros. Outros de nós se vêm atropelados justamente pelo contrário: a completa e incompreensível inércia (amanhã começo o regime, semana que vem me matriculo na aula de música, até sexta termino isso ou aquilo…) que nos faz adiar e nos culpar por esses adiamentos. Daí vem a pergunta que grita em nossos ouvidos e em nossa mente: para quê??

woman-570883_1920

A rigor, alguém diria: porque nosso projeto de vida nos levará à felicidade futura, mas que para isso aconteça, é preciso muito suor. Outros diriam: porque é assim que as pessoas se relacionam no mundo e quem se coloca à parte desse ritmo perde o bonde da história. Será que é mesmo por aí? Será que temos mesmo que ser escravos de nossas próprias rotinas? Que mundo de felicidade é este que nunca chega?

O fato é que estamos engaiolados no fracasso a que demos causa, como sociedade. Não é que não conseguimos viver bem uns com os outros, é que na ânsia de tanto ter, nos perdemos no caminho. Para que tanto esforço em obter sucesso profissional, se o que importa é a alegria de poder realizar e servir? Para que tanto tempo perdido em deslocamentos demoradíssimos nos grandes centros urbanos, se o bom mesmo é desfrutar de uma boa conversa com seu vizinho, quando se pode usar o lar para além de um mero dormitório? Para que tanta tecnologia se uma simples pane no sistema nos deixa absolutamente atônicos diante de uma evidente incompetência sobre como proceder? Estamos na contramão da felicidade. Temos que admitir…

Mas há também algo extraordinário nisso tudo: a gente pode recomeçar e fazer tudo de novo, porque a ferramenta básica já temos: nós mesmos e nossa incrível essência de Amor!

O homem é bom. Por mais teorias que se construam em sentido contrário, não há como negar: você sabe que o homem é bom! Se não fosse, pensar sobre o mal não lhe geraria uma curiosidade ao ponto de se refletir sobre o tema. Se o Amor não fosse a nossa essência, o mal não nos causaria espanto, incômodo. Se você não fosse bom, não teria começado a ler este texto… E mesmo quando insistimos em caminhar na contramão, nossa essência fala mais forte: somos capazes de Amar, de sentir gratidão, empatia. Basta que nos perguntemos uns aos outros: você quer ser feliz ou infeliz? A óbvia resposta pela escolha da felicidade traz à tona uma condição inexorável: nossa essência é puro Amor! Acontece que escolher uma vida em que tudo parece ser mais importante do que a própria felicidade (trabalho, rotina, compromissos) faz com que ignoremos o que realmente importa: expressar o Amor de que somos feitos.

Então, no dia de hoje faça um exercício: revisite suas escolhas, respire, não deixe sua vida ser um conjunto de atos de tortura. Resignifique sua rotina, transforme seus erros em caminhos para expressar o Amor que existe em si! Seja você. Seja, simplesmente, humano em essência!